Divindades

Deuses:

Os deuses Olimpianos contituem as divindades que governam o mundo Grego

Zeus – rei do olimpo, tem a função de governar o mundo, deus do ceu.

Poseidon – Deus dos mares, dos desastres naturais e dos cavalos, um dos 3 grandes deuses.

Hades - Deus do pós-morte, do submundo, normalmente é associado a maldade.

Hera - Esposa de zeus,rainha dos ceus, deusa do matrimonio e da fidelidade.

Afrodite - Deusa do amor e da beleza .

Dementer – Deusa da agricultura.

Hermes - Mensageiro dos deuses,deus da fertilidade, dos rebanhos, da magia, da divinação, das estradas e viagens, patrono da ginástica, dos ladrões, dos diplomatas, dos comerciantes, da astronomia, da eloquência e de algumas formas de iniciação, além de ser o guia das almas dos mortos para o reino de Hades, apenas para citar-se algumas de suas funções mais conhecidas

Atena - Deusa da sabedoria, patrona de Atenas e das guerras com o uso da mente.

Ares – Deus da guerra.

Hefesto - Deus da criatividade, do manuzeio do metal e das tecnologias.

Apolo – Deus do sol, da musica, da poesia e da cultura no geral.

Ártemis - Deusa da caça, do arco e flexa, da inocencia e da pureza da alma feminina.

Hestia -Deusa do coração e do lar, o ponto focal de todos os agregados. Filha de Rhea e Cronos, irmã de Zeus, a mais velha dos Olimpianos.

Dionísio – Deus do vinho, das festas e da diverção.

Hespérides - As Hespérides, na mitologia grega, são primitivas deusas primaveris que representavam o espírito fertilizador da Natureza, donas do jardim das Hespérides, situado no extremo ocidental do mundo. A rigor, o termo Hespérides designa dois grupos distintos de divindades, que com frequência são confundidos. O primeiro, e mais antigo, é o das três deusas Hespérides, que personificam a luz da tarde e o ciclo do entardecer. Segundo Hesíodo, são filhas de Nix (a noite) e Érebo (a escuridão). Há, no entanto, outras versões para a sua ascendência. Uma delas as dá como filhas de Éter (luz celeste) e Hemera (luz do dia). O outro grupo é o das sete ninfas Hespérides, ou ninfas do poente, cuja origem é também controversa. Segundo a versão mais corrente, são filhas do titã Atlas com a deusa Héspera. Também são descritas como filhas de Zeus e Têmis ou de Fórcis e Ceto. As deusas Hespérides passeiam pelos céus, encarregando-se de iluminar todo o mundo com a luz da tarde. Desta forma, fazem parte do ciclo do dia: Hemera traz o dia, as Hespérides trazem o entardecer e Nix fecha o ciclo com a noite.

Nêmesis -  Nêmesis era deusa gregada segunda geração, era, segundo Hesíodo, uma das filhas da deusa Nix (a noite). Pausâniascitou-a como filha dos titãs Oceano e Tétis. Autores tardios puseram-na como filha de Zeus e de Têmis. Apesar de Nêmesis nascer na familia da maioria dos deuses trevosos, vivia no monte Olimpo e figurava a vingança divina. Nasceu ao mesmo tempo em que Gaia concebeu Têmis. Gaia, preocupada com a infante Têmis, que poderia vir a ser vítima da loucura de Urano, entregou-a a Nix. Esta, cansada de tanto gerar por esquizogênese, entregou as deusas aos cuidados dasmoiras, deusas do destino. Assim, Nêmesis e Têmis foram criadas como irmãs e educadas por Cloto, Láquesis e Átropo. Segue daí que as deusas, além de possuírem atributos comuns, tiveram educação em comum. Em outra versão menos citada, ela é tida como filha de Afrodite e Ares.

Graças - As Graças, ou Cárites na Mitologia Grega são as deusas da dança, dos modos e da graça do amor, são seguidoras de Afrodite e dançarinas do Olimpo. Apesar de pouco relevantes na mitologia greco-romana, a partir do Renascimento as Graças se tornaram símbolo da idílica harmonia do mundo clássico. Graças, nome latino das Cárites gregas, eram as deusas da fertilidade, do encantamento, da beleza e da amizade. Ao que parece seu culto se iniciou na Beócia, onde eram consideradas deusas da vegetação. O nome de cada uma delas varia nas diferentes lendas. Na Ilíada de Homero aparece uma só Cárite, esposa do deus Hefesto. Por sua condição de deusas da beleza, eram associadas com Afrodite, deusa do amor. Também se identificavam com as primitivas musas, em virtude de sua predileção pelas danças corais e pela música. Nas primeiras representações plásticas, as Graças apareciam vestidas; mais tarde, contudo, foram representadas como jovens desnudas, de mãos dadas; duas das Graças olham numa direção e a terceira, na direção oposta. Esse modelo, do qual se conserva um grupo escultórico da época helenística, foi o que se transferiu ao Renascimento e originou quadros célebres como “A primavera”, de Botticelli, e “As três Graças”, de Rubens.

Musas - As musas são entidades mitólogicas a que são atribuidas capacidade de inspirar a criação artística ou científica; na Grécia, eram as nove filhas de Mnemosine e Zeus. Musa, no singular, é a figura feminina real ou imaginária que inspira a criação. O correspondente masculino seria ofauno, todavia este ser não tem exatamente a mesma capacidade inspiradora na mitologia. O templo das musas era o Museion, termo que deu origem à palavra museu, nas diversas línguas indo-europeias, como local de cultivo e preservação das artes e ciências.

Horas - As Horas constituíam, na mitologia grega, um grupo de deusas que presidiam às estações dos anos. Eram filhas de Zeus e Têmis são: Irene (paz), Dice (justiça) e Eunômia (disciplina); estas são as Horas mais velhas e estão ligadas a legislação e ordem natural, sendo uma extensão dos atributos de sua mãe Têmis. Eumônia está relacionada com a representação da divindade da justiça. Temis e Dice elucidam o lado ético do instinto, a voz miúda e calma no seio do impulso. Dike para a humanidade é a função de base institual muito sintônica com o que chama de instinto para reflexão. As três horas também são as porteiras do Olimpo. Existem mais nove Horas que são guardiãs da ordem natural, do ciclo anual de crescimento da vegetação e das estações climaticas anuais. (Talo, Carpo, Auxo, Acme, Anatole, Disis, Dicéia, Eupória, Gimnásia).

Ventos - Na mitologia grega, os ventos eram 9 deuses responsáveis pelo vento. Éolo , deus dos ventos, comandava todos os ventos; tanto as brisas leves quanto as piores tempestades. A cada um dos outros deuses era atribuído uma direção cardinal. Em especial a genealogia dos Quatro Grandes Ventos é controversa, por vezes são colocados como titãs, portanto filhos de Urano, o céu e Gaia, a terra. Entretanto existem outras descrições. Em Hesíodo, os filhos de Astreu e Eos que são ventos são apenas três: Zéfiro, Bóreas e Nótus.

Alburno – é o deus venerado sobre o monte Alburno, na Lucânia.

Alfeu -  é um deus - rio da mitologia grega, filho de Oceano e Tétis.

Asclépio – ( ou Esculápio ) é o deus da Medicina e da cura da mitologia greco-romana.

Astéria – é uma deusa estelar da mitologia grega, considerada como a mãe da deusa Hécate (deusa dos caminhos).

Astréia - é uma das deusas relacionadas aos signos de Libra, Virgem e Gêmeos, juntamente com Atena, Afrodite e Apolo.

Outros deuses: Bia, Circe, Cratos, Deimos, Diké, Dione, Ênio, Éolo, Eos, Eósforos, Éris, Fobos, Harmonia, Hebe, Hécate Hélios, Hésperos, Hipnos, Ilítia , Íris , Leto, Macária, Maia, Métis, Momo, Morfeu, Nêmesis, Nereu, Nice, Nomos, Orfeu, Pã, Péon, Perséfone, Perses, Proteu, Pluto, Psiquê, Quíron, Selene, Tânato, Tique, Zelo.

Titãs:

Os Titãs são os antepassados dos deuses, segundo a mitologia Grega eles governaram o mundo durante milênios, até Zeus e seus irmãos destronarem Cronos, como já citado anteriormente.

Os Primeiros Titãs descendem de Gaia(Terra) e Urano(Ceu), os descendentes diretos são:

Cronos: Senhor do tempo, destronou Urano e reinou sobre os Titãs.

Oceanus: Senhor das águas doces.

Céos: Titã da inteligência, de papel semelhante ao de Atena entre os Titãs.

Crio: Titã do frio e inverno assim como dos rebanhos e das manadas.

Hipérion: Senhor do fogo astral e a visão.

Jápeto: titã do tempo de vida humano e da mortalidade, principalmente da morte violenta e também está associado à habilidade artesanal.

Febe: Titânide da lua.

Mnemosine: Titânide da memória e mãe das Musas com Zeus.

Reia: Rainha dos titãs com Cronos.

Témis: titânica das leis e costumes, e mãe das Horas com Zeus.

Tétis: titânica do mar.

Téia: titânica da visão e da luz.

Destes, nascem novos titãs e deuses, esses são:

Hélios: O primeiro Senhor(alguns consideram ele um deus, outros titã) do sol.

Eos: Titã que personificava o amanhecer.

Selene: Deusa da Lua.

Leto:  Deusa do anoitecer.

Atlas: Senhor das águas distantes.

Prometeu: Ancestral da raça humana.

Epimeteu: Criou os animais e deu-lhes os atributos.

Existe várias estórias sobre os Titãs, das quais as mais famosas são:

Prometeu e o fogo:

Segundo Hesíodo foi dada a Prometeu e seu irmão Epimeteu a tarefa de criar os homens e todos os animais. Epimeteu encarregou-se da obra e Prometeu encarregou-se de supervisioná-la. Na obra, Epimeteu atribuiu a cada animal os dons variados de coragem, força, rapidez, sagacidade; asas a um, garras outro, uma carapaça protegendo um terceiro, etc. Porém, quando chegou a vez do homem, formou-o do barro. Mas como Epimeteu gastara todos os recursos nos outros animais, recorreu a seu irmão Prometeu. Este então roubou o fogo dos deuses e o deu aos homens. Isto assegurou a superioridade dos homens sobre os outros animais. Todavia o fogo era exclusivo dos deuses. Como castigo a Prometeu, Zeus ordenou a Hefesto que o acorrentasse no cume do monte Cáucaso, onde todos os dias uma águia dilacerava seu fígado que, todos os dias, regenerava-se. Esse castigo devia durar 30.000 anos.

Prometeu foi libertado do seu sofrimento por Hércules que, havendo concluído os seus doze trabalhos dedicou-se a aventuras. No lugar de Prometeu, o centauro Quíron deixou-se acorrentar no Cáucaso, pois a substituição de Prometeu era uma exigência para assegurar a sua libertação.

Atlas e O Peso supremo:

Depois da grande Guerra entre Titãs e Deuses Atlas foi condenado por Zeus ao fardo de suportar o peso dos céu(Urano), para que esse não caise sobre a Terra(Gaia).Geralmente, Atlas é retratado sustentando um globo sobre os ombros. Esse fardo foi temporariamente aliviado por Héracles durante um de seus 12 trabalhos, mas Atlas foi enganado e voltou a carregar os céus sobre os ombros.

Segundo uma das versões existentes, Atlas foi posteriormente libertado de seu fardo e tornou-se guardião dos Pilares de Hércules, sobre os quais os céus foram colocados, e que também eram a passagem para o lar oceânico de Atlântida.Outra versão fala  Perseu o petrificou mostrando lhe a cabeça que havia arrancado da Medusa, transformando o titã Atlas no que hoje é o Monte Atlas.

A Rosa dos ventos:

Os Titãs, liderados por Cronos, conspiraram contra seu pai Urano(céu), preparando-lhe uma emboscada quando desceu para se deitar com a Gaia(Terra). Crios, Céus, Hipérion e Jápeto se puseram nos quatro cantos do mundo para segurar o deus do céu enquanto Cronos, escondido no centro, castrava o seu pai Urano, com uma foice, nesse mito, Crios, Céus, Hipérion e Jápeto representam os quatro pilares cósmicos que nas cosmogonias do Oriente Médio separam o céu e a terra.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s